IMG_9889-removebg-preview-removebg-preview

Benefícios de pedalar para a saúde: veja lista e prepare a bicicleta

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Pedalar é uma prática que traz diversos benefícios para a saúde física e mental, seja a bicicleta usada para lazer, locomoção ou como instrumento de um esporte organizado. Essa prática esportiva é tão popular entre os brasileiros que ganhou uma data especial: nesta quarta-feira, dia 19 de agosto, é comemorado o Dia Nacional dos Ciclistas. Pensando nisso, o EU Atleta preparou uma lista de benefícios físicos e psicológicos proporcionados pela modalidade. E para quem deseja iniciar a prática e usar mais a bike, nem que seja para se locomover pela cidade em tempos de coronavírus, o profissional de educação física e treinador de ciclismo Vinícius Arnoudo orienta como inserir a “pedalada” na rotina.

Neste momento de pandemia de Covid-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda atividades como caminhar e andar de bicicleta como meios de exercício e de locomoção. Em um guia sobre como transitar na cidade durante a pandemia, a OMS sugere: “Sempre que possível, considere andar de bicicleta ou caminhar: isso proporciona distanciamento físico, ajudando a cumprir o requisito mínimo para a atividade física diária, que pode ser mais difícil devido ao aumento do teletrabalho e acesso limitado ao esporte e outras atividades recreativas”. Contudo, é necessário fazer algumas adaptações na pedalada ao ar livre para prevenir o contágio pelo novo coronavírus, como utilizar máscara e manter o distanciamento mínimo.

Benefícios para a saúde física e mental

De acordo com o treinador de ciclismo, as investigações sobre os benefícios da atividade física para saúde indicam uma relação fortemente apoiada na prática esportiva consciente e contínua. Dessa forma, é possível relacionar diversos benefícios de pedalar de acordo com o púbico ou a faixa etária.

Nas crianças e adolescentes:

  1. Resistência cardiorrespiratória;
  2. Aptidão muscular;
  3. Composição corporal;
  4. Melhoria da saúde óssea;
  5. Melhoria no desenvolvimento do sistema cardiovascular e biomarcadores de saúde metabólicos.

Nos adultos:

  1. Menor risco de morte precoce por AVC, diabetes tipo 2, pressão arterial elevada, perfis lipídicos adversos no sangue, síndrome metabólica, cólon e cancro do peito;
  2. Prevenção de peso;
  3. Perda de peso quando combinado com dieta;
  4. Melhoria do sistema cardiorrespiratório;
  5. Melhoria da circulação sanguínea;
  6. Aptidão muscular;
  7. Prevenção de quedas.

Além dos benefícios físicos citados acima, o ciclismo demonstrou estar associado a benefícios psicológicos, cognitivos e de funcionamento social, como:

  1. Menor risco de depressão, angústia e estresse;
  2. Melhor tempo de reação, atenção, coordenação e precisão durante as tarefas diárias;
  3. Um nível mais alto de interação social percebida e real, respectivamente.

Além disso, os resultados de uma pesquisa publicada na revista Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports mostram que a atividade física inerente à participação no esporte está ligada ao envelhecimento multidimensional bem-sucedido. Se houver participação em competições na prática escolhida, cumprindo e aplicando regras e habilidades específicas e promovendo interação com outras pessoas, melhor ainda.

– Os estudiosos levantaram a hipótese de que fatores específicos da competição, como esses citados, podem promover um envelhecimento multidimensional bem-sucedido acima do que é alcançado apenas por meio do exercício físico. Para os autores, fica claro que a atividade física tem inúmeros benefícios, mas, dentro de uma competição, a prática esportiva demostrou benefícios mais elevados para fatores cognitivos e psicológicos – aponta Vinícius Arnoudo.

De acordo com um estudo da Universidade Yale, dos Estados Unidos, ao analisar dados de 1,2 milhões de pessoas com 18 anos ou mais entre 2011 e 2015, foi constatado que, de um mês para o outro, os indivíduos que se exercitaram passaram 43,2% dos dias com a saúde mental menos fragilizada do que indivíduos que não se exercitaram. Todos os tipos de exercício foram associados a uma melhora da saúde mental, e o ciclismo foi a segunda atividade física com maior associação de redução de carga mental.

Fonte: Globo/Foto: Bike solutions STP

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ARTIGOS RELACIONADOS